Entrada na Terra Prometida


Pastor Eraldo Moises cita a Entrada na Terra Prometida



Por São Paulo, Brasil


  Pastor Eraldo Moises em um Ensaio Fotografico Para o Portal MEDEFE (Foto: Eddy Mailto)

A nova nação estava na Terra Prometida, mas, fácil. Josué era um bom líder e obteve vitórias importantes, inclusive sobre as cidades fortificadas de Jericó e Ai. Os israelitas conquistaram territórios vastos em Canaã e renovaram o compromisso de servir a Deus e viver como seu povo da aliança. Antes que todo o povo estivesse assentado na nova terra, porém, Josué feleceu e nenhum líder nacional o sucedeu. Os israelitas não foram inteiramente fiéis à promessa de servir a Deus. Assim, inimigos de dentro e de fora dos territórios supostamente conquistados começaram a causar problemas. As tribos israelitas tinham forte consciência de sua identidade individual, mas faltava-lhes a mesma lealdade à nação, fato que resultou em diversos conflitos internos.

Altos e baixos
Juízes registra os altos e baixos desse período que antecedeu a instituição da monarquia e unificação de Israel. Os juízes não eram líderes nacionais, mas regionais e, apesar de atuarem ocasionalmente como conselheiros legais, sua principal responsabilidade era comandar campanhas militares. Juízes registra, mas não elogia, o voto impensado de Jefté (que resultou na morte de sua filha) e o estilo de vida imoral de Sansão. Em resumo, o livro é o relato triste de uma história de sincretismo, desobediência e eslealdade, bem como de alguns pontos altos. Ao longo da narrativa, as mulheres se saem um pouco melhor do que os homens e Débora é a única líder que não perde o prestígio.

Nas entrelinhas
1.Deus é soberano, mas sua soberania não anula a responsabilidade humana. Em nenhum momento dá a ideia de que a soberania de Deus torna todas as decisões e atos humanos irrelevantes.
2.Deus é justo; a desobediência e corrupção do povo não alteram esse fato.
3. Deus está no controle e pode transformar situações aparentemente perdidas.
4. Deus é paciente e não desiste com facilidade.
5. Deus parte do ponto onde as pessoas estão e as conduz dali em diante.
6. Deus usa pessoas de todo tipo: coléricos talentosos como Moisés, fracos bem-intencionados como Gedião, conselheiros sábios como Débara e até sujeitos rudes como Sansão.

Rute
A protagonista do livro de Rute é uma moabita com esse nome que viveu no tempo dos juízes. Casou-se com um israelita que havia se mudado para Moabe com o pai, o irmão e a mãe, Noemi. Quando os dois filhos de Noemi faleceram, ela resolveu voltar para Israel e Rute a acompanhou. Em Belém, Rute foi buscar alimento nos campos de Boaz, parente de Noemi. Boaz não apenas protegeu Rute, mas também casou com ela. Rute é importante para a história de Israel por foi a bisavó de Davi. A tradição atribui a autoria do livro a Samuel. Seu relato da fidelidade de Rute ao ajudar a sogra e da felicidade de Deus ao preservar a linhagem na qual, por fim, Jesus nasceria, é um alívio bem-vindo depois da violência e infidelidade que marcam grande parte do livro de Juízes.

publicidade

SAIBA MAIS









© 2015 Igreja Missão Evangelica Deus é fiel - Todos os direitos reservados.