Uma família escolhida


Pastor Eraldo Moises relata como é uma família escolhida



Por São Paulo, Brasil


  Pastor Eraldo Moises em um Ensaio Fotografico Para o Portal MEDEFE (Foto: Eddy Mailto)

Gênesis
Quando lemos o Antigo Testamento, percebemos logo que seu registro histórico também é uma narrativa. A história do povo de Israel é um relato sobre pessoas reais em situações reais que tomam decisões reais e cometem erros reais.

O prefácio
As primeiras páginas do Antigo Testamento relatam o início do mundo em termos gerais. Informam que todas as pessoas foram criadas por Deus para viverem em circunstâncias ideais e compartilharem sua vida diária com o Criador. Os seres criados podiam, contudo, fazer escolhas e ao escolhrem caminhar sozinhos,causaram estragos. Os 39 livros do Antigo Testamento narram como deus escolheu uma família específica, o clã de Abraão, e a transformou em uma nação, Israel. Escolheu-os para serem seu povo especial, para mostrar ao mundo o que aconteceria se as pesssoas andassem com Deus. Infelizmente, em muitas ocasiões, essa família e nação desperdiçam suas oportunidades. à medida que a história se desdobra, porém, vemos Deus se revelar e mostrar seu amor por esse povo, sua disposição de perdoar e seu forte senso de justiça. Temos uma ideia de como poderia ter sido se o povo houvesse seguido os planos de Deus. Apesar de seus erros, Israel continuou a ter esperança.

A família de Abraão
A narrativa focaliza, inicialmente, quatro gerações da família escolhida. Abraão, da grande cidade de Ur, na Mesopotânia, recebe um chamado de Deus para deixar seu lar e viver na terra de Canaã. Grande parte da história gira em torno do relacionamento de Abraão e sua família com Deus que estavam aprendendo a conhecer. Deus lhes prometeu que, um dia, a terra onde viviam como estrangeiros pertenceria à sua família. Por muitos anos, contudo, Abraão e Sara não tiveram filhos. Por fim, quando estavam velhos demais para gerar um herdeiro, Sara deu à luz Isaque, o filho prometido por Deus. O nome de Isaque significa "riso" e, ao que parece, todos gostavam do menino.

Jacó, o enganador
Jacó, filho de Isaque, era diferente. Seu nome significa "usurpador" ou, talvez, "enganador". Na tentativa de fazer as coisas a seu próprio modo, Jacó enganou seu irmão, seu pai e seu tio. Posteriormente, teve doze filhos e uma filha com quatro mulheres. Seu filho predileto era José. Apesar de Jacó ter amadurecido e apredido mais a respeito de Deus, sua família se comportava de forma disfuncional.

A história de José
Os irmãos de José se encheram de tanta inveja dele que o venderam como escravo para comerciantes a caminho do Egito. Disseram ao pai, contudo, que o irmão havia sido morto por um animal selvagem. No Egito, de rapaz mimado José se transformou em líder competente. Veio a ser respeitado até mesmo na prisão onde foi encarcerado injustamente. Uma sequência de acontecimentos o colocou no cargo de ministro de todas as finanças do Egito. Anos depois, quando houve uma grande fome na terra, os irmãos de José foram ao Egito para tentar comprar comida. Não faziam ideia de que o destino deles estava na mão de seu irmão. José e sua família se reconciliaram e José reconheceu que deus havia usado as circunstâncias para o bem, mesmo quando pessoas como seus irmãos haviam tramado o mal. Por fim, a família toda, inclusive Jacó, se mudou para o Egito.

Um povo escolhido
. Deus escolheu o pai e a mãe do filho prometido. Abraão teve outros filhos, mas somente o filho de Abraão e Sara seria patriarca do povo escolhido. Encontramos no relato várias informações sobre as mulheres e seus interesses. Sara, Rebeca (esposa de Isaque) e as duas esposas de Jacó desempenharam papéis importantes na história. . Apesar de Deus ter escolhido a família de Abraão e Sara, também se importava com outras pessoas. A narrativa mostra o cuidado de Deus por Agar, a escrava egípcia que Abraão e Sara desprezaram, bem como seu cuidado por Ló, sobrinho de Abraão que tomou algumas decisões infelizes. . O povo que deus escolheu não era perfeito e cometeu muitos erros. Sempre que se mostravam dispostos a ouvir e aprender, porém, Encontravam um modo de progredir. Deus ainda queria que pertencessem a ele. . Deus deu a terra de Canaã ao seu povo escolhido, mas isso não significava que ele só podia cuidar deles naquele lical. Deus estava preocupado com o que acontecia no mundo todo, inclusive no Egito, e seu poder era igualmente real mem outros países.

publicidade

SAIBA MAIS









© 2015 Igreja Missão Evangelica Deus é fiel - Todos os direitos reservados.